Como funciona a vacina contra HPV?

18 de janeiro, 2018
2417
0

Aproximadamente 25% da população brasileira tem ou já teve contato com o papilomavírus humano (HPV, do inglês human papiloma virus). O agente é um dos principais responsáveis pelo aparecimento de câncer de colo de útero, no caso de mulheres, e de pênis, em homens. Embora a prevalência da patologia no segundo grupo seja menor, o crescente aumento de casos é uma grande preocupação, que inclusive, motivou o Ministério da Saúde a expandir a faixa etária de vacinação contra HPV para os adolescentes do sexo masculino.

Questão de prova

Devido a sua importância, a questão do HPV no Brasil é um tema constantemente cobrado nos exames e concursos médicos, por isso, o conhecimento sobre a doença, formas de transmissão e prevenção é essencial para conquistar uma boa nota, principalmente nas provas de residência médica.
 
No vídeo publicado no canal do Youtube da Medcel, o professor Jader Burtet fala sobre a patologia e a ampliação do programa de vacinação. Confira:
 

Vacinação contra HPV

Oferecida pelo SUS, a vacina deve ser tomada por adolescentes entre 9 e 14 anos. Para a imunização, são necessárias duas doses, com intervalo de seis meses entre elas. Esse período é importante para a formação dos anticorpos. Quanto maior for a distância entre a primeira e a segunda dose, menor será a eficácia da vacina. Entretanto, mesmo que tenha se passado um período muito grande, o esquema vacinal deve ser completado.

Proteção

Tetravalente ou quadrivalente, a vacina garante a imunização contra quatro tipos de HPV, são eles: 6, 11, 16 e 18. Embora existam centenas de subtipos do vírus, a maioria dos casos de infecção são causados por essas quatro formas. As duas primeiras são responsáveis por provocar verrugas genitais, já as últimas estão mais associadas ao câncer de colo de útero.
 
Apesar da proteção garantida pela imunização, as mulheres que forem vacinadas não devem ser dispensadas do rastreamento universal, ou seja, o exame preventivo de papanicolau deve ser realizado normalmente.

Como o HPV se manifesta?

O sintoma mais comum de HPV é o surgimento de verrugas ou condilomas nas partes mucosas do corpo, principalmente genitálias e colo de útero. Boca, lábios, laringe e esôfago também são possíveis áreas de acometimento. Entretanto, os vírus do tipo oncogênico não possuem qualquer manifestação física, sendo percebidos apenas com a realização de exames periódicos específicos.

Transmissão da doença

A principal forma de contágio é através do contato direto das mucosas com a pele infectada, o que ocorre principalmente durante relações sexuais, incluindo sexo oral. O vírus também pode ser transmitido, em menor proporção, pelo uso de objetos contaminados, como toalhas, roupas íntimas, vasos sanitários e banheiras. A transmissão do HPV também pode ser vertical, da mãe para o bebê durante a gestação.

Curso preparatório para residência médica

Esse e outros temas de maior prevalência nos exames médicos podem ser conferidos nos nossos cursos especiais de preparação. Desenvolvemos uma metodologia de ensino baseada em estatísticas e objetos de aprendizagem que favorecem a absorção do conteúdo estudado. Quer saber mais?
 
Conheça nossos cursos para residência médica!

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa