Como escolher sua Residência Médica? O que considerar na escolha?

29 de janeiro, 2019
357
0

Prof. Dr. João Tognini

Durante o curso de medicina, existem, naturalmente, áreas que chamam mais atenção de cada aluno do que outras, e, na maioria das vezes, a área a ser seguida na residência médica é muito influenciada pelas experiências vividas ao longo dos 6 anos de graduação.

Contribuições às futuras escolhas

O acesso ao conhecimento, propiciado pela era da internet e as atividades extra-curriculares, como, por exemplo, as Ligas Acadêmicas, trouxe grande contribuição ao aprofundamento de determinadas áreas ainda na vida acadêmica e, sem dúvida, traz grandes contribuições às futuras escolhas.

Leia também: Plano de carreira na medicina

Mas existe uma fórmula mágica que orienta a escolha da área a ser seguida, professor?

Certamente não existe uma fórmula infalível, e cada indivíduo acaba construindo os argumentos que o motivam a optar por uma ou outra área, dependendo de suas experiências acumuladas, suas necessidades e sua personalidade.

Leia também: Quando escolher a especialização médica?

Aspectos em consideração

Você pode levar vários aspectos em consideração: alguns pensam apenas na afinidade ou na paixão que desenvolveram por determinada área; outros podem aliar a afinidade a fatores inerentes ao mercado de trabalho, ou, então, a chamada “qualidade de vida”; há outros que consideram a coordenação motora ou aptidão física e até mesmo outras características, como empatia, capacidade de comunicação e de se relacionar.

O fato é que como a medicina é extremamente ampla e todas as áreas têm sua importância, essas reflexões devem fazer parte do seu processo de escolha da especialidade médica para residência.

Dúvidas

Acompanho alunos e residentes há muitos anos e sei das dúvidas que pairam nesses momentos de decisão. Já presenciei muitas escolhas inadequadas, que na maioria das vezes motivaram a recomeços, impactando em tempo perdido.

Dica

A grande dica que dou é: faça sua escolha baseada em múltiplos fatores, levando em consideração sua personalidade e seus projetos de vida, suas expectativas diante do mercado e suas possibilidades de trabalho.

Porém, não se esqueça, esses fatores têm um significado muito pequeno se você realmente não gostar da área escolhida. Acredite, são muito mais importantes o prazer e a paixão do que qualquer aspecto material, pois essa escolha é para toda a vida, e se você não gostar do que você faz, será um profissional frustrado, e a medicina é muito bonita e repleta de possibilidades para que você se sinta assim.

Leia também: Como é a prova de residência médica?

 

 

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa