Aprenda a estruturar um plano de estudos baseado em estatísticas

06 de junho, 2017
3780
0

Qual o segredo para ser aprovado em qualquer tipo de prova? Estudar muito, correto? Errado. O mais importante é estudar certo. Há uma grande diferença entre esses dois conceitos. O primeiro ponto se refere ao tempo destinado à atividade, enquanto o segundo se baseia no aproveitamento dele. Claro, quando falamos em se preparar para um concurso médico, será necessário tanto estudar certo quanto muito.

Montar um plano de estudos é o primeiro passo para aproveitar cada minuto de estudo da melhor forma possível. A ferramenta se baseia em uma tabela que definirá o que será estudado em cada momento. Os conteúdos devem ser divididos em blocos de tempo de acordo com a importância de cada um. Ter em mãos uma referência estatística da incidência dos temas é fundamental para realizar essa divisão.

 

Leia também

Tempo disponível para estudo

O primeiro passo para a montagem do plano de estudos é saber quanto tempo possui para dedicar à preparação. Para isso, utilize uma planilha, quadro ou papel para criar uma tabela. Na primeira linha, insira os dias da semana, incluindo sábado e domingo, e na primeira coluna os blocos de horário.

O próximo procedimento é anotar todas as atividades realizadas durante a semana e quanto tempo elas gastam. Por menor que seja, cada ação deve ser adicionada à tabela, desde o café da manhã até as horas dormidas. Quanto mais meticuloso for nessa tarefa, melhor. Com todas as atividades mapeadas, fica mais fácil a identificação do real tempo disponível para estudar. Fique atento aos horários quebrados, pois, quaisquer 15 minutos podem fazer a diferença.

 

Definição das matérias

Essa é a etapa mais complexa da montagem do plano de estudos, pois é preciso determinar o que será estudado e qual o tempo gasto com cada tema. Essa separação precisa levar em conta fatores como o domínio dentro das áreas e o peso dos assuntos cobrados na prova.

É nessa fase que dispor das estatísticas das últimas provas faz toda a diferença. Com o material em mãos, fica mais fácil adicionar o peso correto para cada tema e com isso definir quais os assuntos deveram ter um tempo maior, destinado blocos maiores àqueles com maior incidência nas provas dos últimos anos.

Os temas ou subtemas devem ser divididos em pequenos blocos de tempo, de no máximo duas horas. Assuntos com muito peso podem ser adicionados em mais de um quadrado, de preferência em dias diferentes. Após o término do horário definido, feche o material e vá para o próximo. Isso evita deixar de estudar algum ponto importante.

Estudar em blocos quebrados

Normalmente consideramos blocos de tempo menores que 1h improdutivos. No entanto, inclui-los no plano de estudos é fundamental para aproveitar melhor o tempo. É possível dividir subtemas em bloquinhos, e inseri-los nos espaços disponíveis dentro do seu cronograma. Um exemplo é o tempo gasto no transporte público, que, caso consiga realmente estudar nesse período, pode ser muito bem aproveitado.

Ciclos de estudo

Esse método ajuda a tornar o plano de estudos mais dinâmico. Em vez de ficar preso ao tema reservado para o dia, o ciclo de estudos possibilita continuar exatamente de onde parou. Isso evita estudar um assunto em um mês e vê-lo novamente depois de muito tempo. Afinal, imprevistos podem acontecer e atrapalhar nossos planos. Quer saber mais sobre o assunto? leia o nosso artigo: Ciclo de estudos: otimize sua preparação para concursos médicos.

 

Você já usou esse método de estudos alguma vez? Conta para a gente nos comentários o que pensa sobre a ferramenta.

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa