Dicas de memorização: como garantir que uma informação seja fixada no cérebro

26 de julho, 2017
907
0

Para reter uma simples informações, é necessário que ela percorra um complexo sistema com no mínimo três partes: memória sensorial, memória de curto prazo e memória de longo prazo. Mesmo que involuntariamente, nós criamos uma série de recursos para conduzir um dado que julgamos importante até esse “local” em que poderá ser recuperado quando necessário. Nesse artigo, você vai entender como esse processo funciona e conferir algumas dicas memorização.

Como a memória funciona?

Para objetivo puramente didático, vamos simplificar o processo de memorização e reduzi-lo a três momentos. Antes de qualquer coisa, é preciso entender que as lembranças não são depositadas em um local no cérebro. O que conhecemos como memória, na verdade, é o acionamento de uma sequência de neurônios que foi ativada em determinado momento, trazendo as informações colhidas pelos nossos sentidos de volta, o que faz com que recordemos do evento em questão.

 

Leia também:

1 – Memória sensorial

Essa é a primeira fase do processo. Com o auxílio do sistema sensorial, nós retemos uma perfeita fotografia do mundo. Essas imagens duram entre 0,1 e 0,5 segundos, tempo suficiente para que o nosso cérebro reconheça padrões e atribua significado a alguma parte dessa cena.

2 – Memória de curto prazo

As informações dentro da primeira imagem consideradas relevantes são levadas para a memória de curto prazo, onde permanecem armazenadas por até alguns minutos, enquanto o cérebro decide se deve descartá-las ou organizá-las e enviá-las para o próximo nível.

3 – Memória de longo prazo

Depois dessa segunda triagem, as informações classificadas como importantes são levadas para a memória de longo prazo, onde podem ficar guardadas por décadas e recuperadas quando necessário. A memória de longo prazo não deve ser entendida como um depósito ou arquivo, mas uma complexa rede de esquemas onde todas as informações estão categorizadas e ligadas umas as outras.

Fortalecimento e recuperação das memórias

Como vimos acima, as memórias estão dispostas no cérebro em uma espécie de rede que as conecta às outras. Quanto maior o número de conexões entre a informação que deseja guardar e os demais dados que fazem parte do seu mapa de conhecimento, mais forte ela irá se tornar e mais fácil será sua recuperação.

 

Técnicas de memorização

Esses métodos basicamente são estratégias para criar novas conexões e fortalecer uma memória.

Faça associações

Ao ler sobre um assunto novo, uma forma de fixá-lo mais facilmente à memória é associá-lo a outros conhecimentos e informações que já fazem parte do seu repertório. Com isso, você realizará de forma ativa a criação de novas conexões neurais e por consequência reforçará a lembrança.

Reflita sobre o que foi estudado

Uma pesquisa realizada pela Harvard Bussiness School mostrou como uma simples reflexão sobre a atividade realizada causa um imenso impacto no entendimento sobre o universo que a circula. O estudo dividiu os funcionários de um Call Center em dois grupos, sendo que um deles tirou 15 minutos ao final do dia para refletir sobre o trabalho. Esse grupo teve uma performance 22% mais alta que o outro, apresentado melhora considerável na memorização dos temas relacionados à função. Isso acontece porque durante a reflexão novas conexões foram criadas.

Exercícios físicos

Uma corrida ou caminhada no início ou meio de uma rotina de estudos melhora consideravelmente a capacidade de memorização. Ao permitir uma maior oxigenação do cérebro, atividades físicas aprimoram as funções cognitivas, incluindo a retenção de informações. Além disso, exercícios promovem maior a circulação de hormônios que elevam o bem-estar e as lembranças se tornam mais fortes quando associadas a estados emocionais. Você pode aprender mais sobre essa correlação no nosso artigo: Corpo são, mente sã: importância da prática de atividades físicas para sua rotina de estudos.

Crie imagens

Ao se deparar com um conceito abstrato e complicado, utilize-se de desenhos, diagramas, esquemas e qualquer outro tipo de imagem para estruturar as informações de forma visual. Esse processo conecta as novas memórias com as de longa duração. Além disso, informações visuais ativam áreas no cérebro diferentes das verbais, garantido que ela se ligará a diferentes recordações.

 

Precisa de ajuda para memorizar os conteúdos? Nós temos diversos artigos sobre o tema no blog da Medcel.

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa