Doar sangue: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

25 de novembro, 2020
0
0
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  

Não é de hoje que se fala da importância de doar sangue. Mesmo com os avanços frequentes da medicina, nós ainda precisamos ter um banco de sangue abastecido para conseguir realizar diversos procedimentos e já é mais do que sabido que doar sangue salva vidas. Existem duas datas importantes durante o ano em que campanhas são feitas para lembrar a todos da importância dessa doação: o Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em 14 de junho, e o Dia Nacional do Doador de Sangue, comemorado no dia 25 de novembro.

 

A data foi instituída pela Organização Mundial de Saúde, a OMS, em 2004, para conscientizar a população de como é importante ser solidário e manter nossos bancos de sangue cheios.

 

Saiba mais clicando aqui.

 

O que é preciso para doar sangue?

 

Existem alguns requisitos básicos para que alguém seja doador. Segundo o hemocentro de São Paulo, é necessário:

 

– Estar em boas condições de saúde.

– Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos precisam de alguns documentos para poder efetivamente doar e de assinaturas em formulários de autorização.

– Pesar no mínimo 50kg.

– Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).

– Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).

– Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação e RNE-Registro Nacional de Estrangeiro).

 

Quem não pode doar sangue?

Ainda segundo o hemocentro de São Paulo, algumas condições podem impedir que a doação ocorra, dividindo-as em impedimentos temporários e impedimentos definitivos.

 

Principais impedimentos temporários:

 

– Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.

– Gravidez.

– 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.

– Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).

– Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.

– Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses.

– Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.

– Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc.): aguardar 6 meses.

– Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias.

– Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.

– Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses.

– Vacina contra gripe: por 48 horas.

– Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões.

– Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster).

– Brasil: estados como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses para doar, após o retorno.

– EUA: quem esteve nesse país deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno.

– Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão para doação.

– Malária: quem esteve em países com alta prevalência de malária deve aguardar 12 meses após o retorno para doar. (critério semelhante ao dos estados brasileiros com prevalência elevada de malária).

– Febre Amarela: quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno; se tomou a vacina, deve aguardar 04 semanas; se contraiu a doença, deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial).

 

Impedimentos definitivos se:

 

– tem ou teve um teste positivo para hiv.

– teve hepatite após os 10 anos de idade.

– já teve malária.

– tem doença de chagas.

– recebeu enxerto de duramater.

– teve algum tipo de câncer, incluindo leucemia.

– tem graves problemas no pulmão, coração, rins ou fígado.

– tem problema de coagulação de sangue.

– é diabético com complicações vasculares ou em uso de insulina.

– teve tuberculose extra-pulmonar.

– já teve elefantíase.

– já teve hanseníase.

– já teve calazar (leishmaniose visceral).

– já teve leishmaniose tegumentar ou cutânea.

– já teve brucelose.

– já teve esquistossomose hepatoesplênica

– tem alguma doença que gere inimputabilidade jurídica.

– foi submetido a transplante de órgãos ou de medula.

– tem Mal de Parkinson.

 

Fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/ 

Leia mais: http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/quem_nao_pode_doar.html 

 

Quanto tempo demora para doar sangue?

 

O processo completo, que envolve o cadastro, procedimento e até mesmo um lanche pós-doação dura, em média, 40 minutos

 

Quais são os benefícios para a saúde para quem doa sangue?

 

É importante lembrar que o principal benefício é a ajuda ao outro. Uma bolsa de sangue doada pode salvar até 3 vidas. Porém, existem estudos que indicam que ser doador traz benefícios para o coração e diminui o risco de câncer. Também é um cuidado com a sua saúde, já que todo doador recebe um check-up gratuito, podendo aferir qualquer problema de saúde.

 

Como faço para doar?

 

O melhor jeito é procurar o hemocentro da sua cidade, ou cidade mais próxima. Você encontra uma lista completa clicando aqui.

Matérias mais lidas

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa