Entendendo o Condiloma Acuminado

13 de julho, 2018
178
0

Você sabia que o condiloma acuminado é o principal diagnóstico no exame físico de pacientes com queixas de verrugas genitais? O paciente relata ter percebido uma verruga na genitália que foi crescendo lentamente, mas muitas vezes a procura pelo atendimento médico ocorre apenas quando a lesão já é volumosa.

HPV

Atualmente, já foram reconhecidos mais de 200 subtipos de vírus HPV. Os que estão relacionados ao câncer do colo uterino são denominados oncogênicos e são representados, principalmente, pelos subtipos 16 e 18. Por sua vez, os subtipos relacionados ao condiloma acuminado são, principalmente, o 6 e o 11, que são subtipos de HPV sem potencial oncogênico, ou seja, destituídos da capacidade de provocar câncer do colo uterino. A contaminação é por via sexual.

Leia também: Como funciona a vacina contra HPV.

Assista: HPV no Brasil.

Verrugas genitais

A replicação do vírus nas células do trato genital masculino ou feminino, ou, ainda, na mucosa oral, é o que leva ao surgimento do condiloma acuminado. É uma verruga que cresce lentamente sem causar dor, sangramento ou qualquer outro sintoma. Alguns pacientes podem ter prurido muito discreto, mas a imensa maioria não tem sintomas associados ao condiloma, sendo a preocupação com a lesão o que motiva a consulta. Com o crescimento, pode assumir o formato de couve-flor. As lesões podem ser acinzentadas, arroxeadas ou avermelhadas (figura).

 

CONDILOMA_ACUMINADO

Aspecto do condiloma acuminado no pênis. Fonte: Medical Foxx.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é clínico, não sendo necessários exames adicionais. Os testes laboratoriais para HPV não costumam trazer informações que alteram a conduta.

Existe um arsenal de tratamentos disponíveis para o condiloma acuminado. A escolha da modalidade de tratamento irá depender de fatores como número de lesões, localização, tamanho, disponibilidade de recursos e experiência do profissional que está prestando o atendimento. Pode variar desde tratamentos ablativos locais (que promovem a destruição das verrugas genitais) até a excisão cirúrgica.

Os tratamentos ablativos podem ser cauterização química com ácido tricloroacético (ATA), cauterização elétrica com eletrocautério ou destruição com laser. Existe também a opção de uso do imiquimode, um imunomodulador que pode ser aplicado pelo próprio paciente. A excisão cirúrgica deve ser a opção para pacientes com lesões volumosas ou quando é necessária a exclusão de outras patologias, como câncer de vulva ou pênis.

Prevenção

A prevenção primária dos condilomas acuminados pode ser feita através da vacinação para o vírus HPV. As vacinas tetravalente (quadrivalente) e a nonavalente, além de conferirem diminuição do risco de câncer de colo uterino, também são eficazes na diminuição da ocorrência das verrugas genitais.

O condiloma acuminado é um diagnóstico frequente em pacientes sexualmente ativos com queixa de úlcera genital e, embora os subtipos de vírus HPV envolvidos na sua etiologia não apresentem potencial oncogênico, as lesões devem ser tratadas. É importante que os pacientes procurem assistência médica quando suspeitem de verrugas genitais, pois a precocidade do diagnóstico costuma diminuir o tempo e a intensidade do tratamento.

Texto escrito pelo nosso Professor Dr. Jader Burtet – Ginecologista e Mastologista.

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa