Residência médica nos EUA: uma visão geral sobre o processo seletivo

16 de maio, 2017
13233
0

Residência médica nos EUA: uma visão geral sobre o processo seletivo

Principal potência econômica, política e científica do mundo, os Estados Unidos são conhecidos por oferecer oportunidades de crescimento para profissionais de todo o mundo. Em relação à medicina, essa realidade não é diferente. Somente em 2013, mais de 6000 profissionais estrangeiros foram admitidos na residência médica.

O processo seletivo é difícil e complexo, mas com estudo adequado e empenho a aprovação é possível. Muitos médicos brasileiros passaram com êxito pela seleção, como o caso de Eduardo Henrique Ribeiro, instrutor de medicina do programa de residência médica do Internal Medicine no Hospital Metrowest Medical Center, na cidade de Framingham, que nos ajudou a entender melhor como funciona o processo todo.

Como ser médico nos EUA

Diferente do que acontece no Brasil, no país, não existe uma prova de revalidação de diploma, ferramenta utilizada para atestar a capacidade dos profissionais graduados em outros países. Dessa forma, a única maneira de exercer a medicina nos Estados Unidos é através da realização de uma residência médica, que é exigida até mesmo para os médicos que fizeram a qualificação no Brasil.

Já os profissionais que desejam seguir a área de pesquisa devem passar por um processo seletivo diferente, o Research Fellow, que não exige a realização de provas.

Entendendo o processo seletivo para residência nos Estados Unidos

Para estar apto a participar do sistema de seleção americano, os candidatos precisam primeiro obter o ECFMG Certificate. Para isso, é preciso cadastrar-se no ECFMG, que fará a verificação junto à faculdade da veracidade de todos os documentos e informações adicionados ao sistema.

Caso tudo esteja correto, o candidato pode escolher um dia para realizar o exame, tendo como única exigência a conclusão dos dois primeiros anos da faculdade. Esse processo é dividido em três provas: step 1 (matérias do ciclo básico), step 2CK (matérias do ciclo clínico) e step 2CS (prova prática).

Os dois primeiros exames são aplicados no Brasil, em centros da empresa Prometric. O local é preparado especialmente para o processo, sendo equipado com computadores com as questões e câmeras de vigilância para evitar trapaças. Já a prova 2 CS só pode ser realizada nos Estados Unidos. No exame, o candidato terá que examinar 12 atores profissionais que vão simular problemas de saúde e conduzir a avaliação de desempenho.

Com a posse do ECFMG Certificate, o candidato poderá se cadastrar no ERAS (Eletronic Residency Application System), uma plataforma onde fará o upload dos documentos e enviá-los para todos os programas de residência que escolher. Além dos documentos, é preciso anexar de três a quatro cartas de recomendação de médicos (de preferência americanos) e uma Personal Statement, uma redação de uma página onde deverá falar sobre si próprio. As entrevistas são realizadas nos próprios hospitais.

Live “Como ser Médico nos Estados Unidos

Quer mais informações sobre como esse processo funciona? Não perca a palestra ao vivo e gratuita com o Dr. Augusto Amaral. Inscreva-se agora mesmo no link abaixo:

http://bit.ly/ComoSerMedicoEua

 

 

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa