O

curso de Medicina, além de possuir uma alta concorrência para conseguir uma vaga, é considerado a graduação mais cara do Brasil, podendo chegar a R$12.000,00 mensais.

Além disso, ao somar os demais custos básicos, como despesas de transporte, alimentação, materiais didáticos e lazer, esse valor fica ainda mais pesado, o que dificulta para muitos a realização do curso em solo brasileiro.

Diante disso, vários estudantes passaram a procurar as faculdades do exterior para concretizar esse sonho. Como já falamos aqui anteriormente, escolher estudar fora pode ser mais barato do que cursar Medicina em nosso país.

Conforme levantamento realizado, Argentina, Bolívia e Paraguai são os destinos mais procurados pelos brasileiros que buscam a graduação em Medicina em outros países.

A título de exemplo, se você optar por estudar na Argentina, você pode tentar uma vaga na Universidade de Buenos Aires (UBA), afinal, o curso é gratuito. Mas se não conseguir, as mensalidades das Universidades particulares variam entre R$900,00 a R$2.000,00, e o custo de vida, incluindo transporte, moradia, alimentação e material didático podem variar entre R$1.500,00 a R$2.000,00.

Viu como é uma opção bem atrativa? Mas antes de fazer as malas e buscar a realização do seu sonho em outras terras, é importante se questionar: Você está preparado para fazer uma reserva financeira?

Afinal, é importante que você se organize financeiramente para que possa estar tranquilo durante a sua graduação. Os imprevistos sempre acontecem, e você precisa estar preparado para essas emergências.

O que é a reserva financeira ou de emergência?

Antes de tudo, é importante compreender o que é essa reserva, e porque é importante você se organizar para tê-la, principalmente estando em outro país.

A reserva financeira é aquele dinheiro que você vai guardar para te ajudar a alcançar os seus objetivos ou para te trazer segurança quando emergências que dependam de investimentos financeiros ocorrerem.

E por que a reserva financeira é importante para quem estuda no exterior?

Mesmo sendo necessário um valor menor para cursar no exterior, ainda assim você precisa se organizar para que seja possível quitar todos os meses as suas obrigações financeiras e as despesas básicas para se manter.

Ter um custo menor, não quer dizer que será mais fácil de se manter, afinal, cada país possui sua peculiaridade no mercado de trabalho, regras distintas para turistas e estudantes, e culturas diferentes.

Além disso, você precisa considerar que imprevistos acontecem, e você tem que estar preparado para eles.

Por exemplo, caso você tenha uma despesa médica não programada, você terá uma despesa a mais no seu orçamento que poderá desestabilizar a sua programação financeira naquele mês. O que te salva de ter problemas financeiros maiores em decorrência disso? A reserva financeira.

Ou suponhamos que você chegou ao final do curso com as contas mais apertadas, mas se depara com a prova de Revalidação do diploma ou até mesmo com a prova de Residência Médica, o que provavelmente garantirá que você dê sequência no seu objetivo e realize as provas, é a reserva financeira que você começou a formar desde o início da graduação.

Se organizar hoje, é pensar em soluções para as dificuldades que possam aparecer lá na frente.

Como montar a reserva financeira

De acordo com especialistas da área financeira, uma boa reserva de emergência consiste em ter de 4 a 12 meses do seu custo fixo mensal guardado.

Mas a gente sabe que nem sempre sobra dinheiro no final do mês, ou que organização financeira nem sempre é o forte de todas as pessoas, então separamos algumas dicas para te mostrar que mesmo sendo estudante é possível montar uma reserva e ter mais tranquilidade ao longo de sua caminhada.

1. Saiba quais são e o valor das suas despesas mensais

Para que você consiga pensar em guardar alguma quantia ao final do mês, é importante você entender quais são as suas despesas fixas.

Anote todas as despesas que são recorrentes, como as despesas básicas de moradia (Água, energia, aluguel, telefone, internet…), os custos com mensalidade do curso, deslocamentos para o trabalho e/ou para a faculdade, e medicamentos de uso contínuo.

Com todas as suas despesas fixas anotadas você consegue saber qual o seu custo mensal.

Partindo disso, você sabe que esse é o valor mínimo que você deverá ter todos os meses para que consiga se manter morando em outro país. O excedente, você irá direcionar para as despesas não prioritárias e principalmente guardar uma % para a sua reserva financeira.

2. Estabeleça prioridades de gastos

Com a lista do tópico anterior em mãos, analise se você está gastando de forma inteligente o seu dinheiro. Muitas vezes ele não sobra porque estamos invertendo as prioridades na hora de gastar.

Veja, por exemplo, se o que você gasta com lazer, não sobressai às necessidades dos gastos essenciais, ou até mesmo, se é isso que te impede de começar a separar um pouco para a reserva financeira.

De acordo com os especialistas, o ideal é aplicar a regra 50-30-20. Separe 50% do valor que você recebe para os gastos essenciais, 30% para lazer e 20% para a sua reserva de emergência.

3. Seja estratégico

Mas para conseguir chegar ao final do mês tranquilo financeiramente, e encaixar na regra 50-30-20, você precisa ter estratégia na hora de decidir como serão os seus gastos fixos.

Você sabia que diversas Universidades do exterior possuem programas de bolsa de estudos? Isso ajuda muito os estudantes a reduzirem os custos durante a graduação.

Outro fator que contribui com a redução de despesas é escolher de forma estratégica a sua moradia. Busque morar próximo ao trabalho, ou próximo à sua Universidade, assim você reduz os custos com deslocamento.

Outro ponto é observar se a sua moradia está próxima de pontos de transporte público, descartando assim a necessidade de se ter um carro, por exemplo.

4. De onde virá a renda?

Mas para conseguir se manter e criar a sua reserva, o fator fundamental é: De onde sairão os recursos?

Cada país tem uma regra específica relacionada à permissão de trabalho de estrangeiros. Busque se informar sobre como será no seu país de destino antes de você ir, para que seja possível se preparar.

Neste momento, procure também por programas de estágio, bem como pelos financiamentos estudantis.

Mesada Medcel

Na Medcel, é possível encontrar apoio e soluções personalizadas para toda a jornada médica. E com a sua vida financeira não seria diferente.

Em parceria com a plataforma de crédito educacional Elleve, a Mesada Medcel surgiu com o intuito de auxiliar os estudantes de Medicina e os médicos recém-formados a se organizarem financeiramente.

Ela é ideal para estudantes de medicina a partir do 5º semestre, ou novos médicos, que precisam de dinheiro para investir na carreira profissional, ou para conseguirem administrar as despesas particulares, mas não possuem, naquele momento, recursos financeiros para tal.

E sabe o que é melhor? O acesso à mesada é sem burocracia.

Você poderá escolher a quantidade de parcelas que melhor irá atender ao seu objetivo, entre 1 e 18 meses de mesada, bem como os valores, que variam entre R$800,00, R$1200,00 e R$1600,00.

Além disso, as taxas de juros já estão incluídas, portanto, você não terá nenhum tipo de cobrança adicional ao seu contrato. Já a restituição dos valores contratados, começa somente após cessar o período do contrato!

Excelente para se organizar financeiramente, e garantir a tranquilidade da sua reserva financeira, não é?

Clique aqui e saiba mais sobre a Mesada Medcel!

Postado em
18/1/22
na categoria
Notícias Médicas

Mais sobre 

Notícias Médicas

ver tudo