Por que ter um Título de Especialista em Cardiologia?

Por que ter um Título de Especialista em Cardiologia?

O Título de Especialista em Cardiologia é uma certificação fornecida pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) a partir de uma prova. Profissionalmente, essa titulação garante mais credibilidade tanto no mercado, quanto entre os pares (GRG). Para falar sobre isso e compartilhar dicas sobre o processo, conversamos com a Professora e Dra. Glaucylara Reis Geovanini (GRG).  Ela é cardiologista com título de especialista pela SBC obtido em 2007; subespecialidade em estimulação cardíaca artificial com título de especialista pelo DECA em 2008. Tem subespecialidade em Medicina do Sono, com formação no Laboratório do Sono do InCor/HCFMUSP. A Dra. Glaucylara também é doutora em Ciências pela USP nas áreas de cardiologia e medicina do sono. Tem Pós-doutorado em estudos epidemiológicos nas áreas de cardiologia e medicina do sono, concluído em 2017 no Brigham and Women’s Hospital – Harvard Medical School-Boston, MA-USA. Possui ainda mestrado em saúde pública concluído em maio de 2019 na Harvard TH Chan School of Public Health, em Boston, MA, USA. É instrutora do ACLS pelo InCor e professora da Medcel.  Confira a seguir o bate-papo, no qual a Professora e Dra. Glaucylara Reis Geovanini compartilhou dicas valiosas de preparação para a prova.  

Por que fazer a prova de Título de Especialista em Cardiologia após a residência?   

Dra. Glaucylara Reis Geovanini:A primeira razão é que um título de especialista dá maior credibilidade no mercado de trabalho, além de mais confiança a um profissional do ponto de vista da sociedade médica. O mesmo acontece em relação aos pares, já que reforça a sensação de segurança por se tratar de um profissional que está alinhado com as regras daquela sociedade. Além disso, o esforço para a realização da prova indica que o especialista estudou mais, adquiriu mais conhecimento e pode oferecer o melhor tratamento ao paciente.

Como é a rotina e quais os principais desafios nessa jornada?   

Dra. Glaucylara Reis Geovanini: Este é um processo com muitos desafios, já que a preparação para a prova acontece enquanto estamos atuando no mercado de trabalho. Por isso, é preciso conciliar a rotina de estudos com o dia a dia. Muitos optam por fazer isso durante a residência médica, mas outros que terminaram a formação há mais tempo precisam retomar os estudos depois de algum tempo. Eu optei por me preparar para a prova de título durante a residência médica. Mas não fiz a prova logo em seguida, porque eu estava fazendo uma subespecialização. Então fiz o exame mais de um ano depois. Como se trata de uma prova difícil que demanda muito estudo, acaba sendo uma tarefa muito desafiadora, pois já estamos no mercado de trabalho ou em outras residências médicas. Na minha época, a gente estudava em livros e tinha cursos presenciais, então eu fazia maratonas de cursos, tanto na Sociedade de Cardiologia Paulista, quanto na Sociedade de Cardiologia Brasileira. Foi um tempo de muitos desafios, mas valeu a pena, pois fiquei mais preparada para cuidar dos meus pacientes.  

Quais os pré-requisitos importantes para fazer a prova de Título de Especialista em Cardiologia?   

Dra. Glaucylara Reis Geovanini: No geral os pré-requisitos são: ter pelo menos 4 anos de formado em uma faculdade reconhecida pelo MEC, estar inscrito no Conselho Regional de Medicina (CRM) e apresentar o certificado da conclusão da residência médica em cardiologia, do estágio ou especialização em cardiologia em centros credenciados pela SBC. É muito importante apresentar todos esses comprovantes de atuação na área de especialização. E, claro, é fundamental ler os detalhes do edital para anexar todos esses documentos importantes.  

Sobre editais, como desdobrar e compreender o que é importante para a prova?  

Dra. Glaucylara Reis Geovanini: Quanto aos editais, é importante que o aluno leia com atenção, pois podem existir mudanças na prova de cada ano. Normalmente, todos os candidatos devem fazer uma prova teórica e uma análise curricular. A prova teórica, geralmente, tem 120 questões de múltipla escolha, na qual cada questão vale um ponto. A prova teórica de 2020 foi online com 100 questões múltipla-escolha, com pré-requisitos tecnológicos. Para a análise curricular, é importante encaminhar documentos que comprovem atuação na área, mestrado, doutorado na área de cardiologia ou até publicações. Uma prova teórico/prática pode ser aplicada em candidatos que não preenchem alguns critérios. Essa prova teórico/prática será avaliada por uma banca examinadora, que apresenta casos clínicos que devem ser respondidos pelo candidato na hora, indicando a conduta recomendada. #DicaMedcel: A Medcel pode te ajudar a se preparar para essa prova. Conheça o nosso curso preparatório para o exame de título de cardiologia 2021. O foco das aulas é explorar temas e questões mais incidentes nas provas. O conteúdo é compartilhado em diferentes formatos, como podcasts, simulados e livros impressos.  

Quais as dicas para a prova de Título de Especialista em Cardiologia?  

Dra. Glaucylara Reis Geovanini: Treinar as questões de prova é o mais importante, especialmente porque, muitas vezes, existem pegadinhas em questões de múltipla-escolha, o que demanda treinamento. Vale a pena ainda correr atrás de todo material online disponível, pois todo o estudo é necessário para um melhor aprendizado. Aulas online ajudam muito, já que é um momento no qual o médico já está no mercado de trabalho.  


Conteúdos exclusivos

Tudo sobre a prova prática do Revalida

Tudo sobre a prova prática do Revalida

Faça o login para baixarBaixar

Você sabe a resposta dessa questão?

Alternativa incorreta...

Quer saber a resposta?

Faça seu login ou cadastre-se e continue a treinar seu conhecimento

Faça o seu cadastro

Cadastre-se para ter acesso a conteúdos exclusivos Medcel

Ver política de privacidade
Coach de Aprovação

Mais vistos