Título de Especialista em Reumatologia: qual a importância?

Por Medcel


O Título de Especialista em Reumatologia (TER) é um documento emitido pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a partir de uma prova realizada pelo instituto. Um médico que conquista esse título garante um passo fundamental na atuação profissional e na sua associação efetiva à sociedade emissora. Além disso, é uma maneira de afirmar que ele conseguiu adquirir o conhecimento necessário para ser um especialista na área.

Para falar sobre a importância do Título de Especialista em Reumatologia, conversamos com o Professor da Medcel, Dr. Jean Souza, sobre o título e o exame para obtê-lo.

Se você pretende realizar essa prova, confira a seguir algumas dicas de como se preparar. Bons estudos!

Baixe agora: E-book com Questões Comentadas das últimas provas de Título de Especialista em Reumatologia. 

Por que fazer a prova do Título de Especialista em Reumatologia? 

Dr. Jean Souza: O Título de Especialista em Reumatologia (TER) me aproximou das sociedades médicas, especialmente da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR). O título é necessário para a obtenção da associação efetiva e abre portas para aqueles que possuem aspirações científicas e acadêmicas – primordialmente, mas não exclusivamente, dentro da própria SBR. A SBR é muito unida e se preocupa muito com a formação dos seus especialistas, portanto, os seus membros frequentemente são convidados a contribuir como um grande coletivo. O resultado é uma sociedade com uma cara meio “familiar”, muito atuante e com altas taxas de produção científica.

A residência em si não me influenciou na opção por prestar a prova, mas, ao menos no meu programa de residência, todos os residentes tradicionalmente prestam. Entende-se que a obtenção da suficiência fecha um ciclo e ajuda a revisar e organizar todo o conteúdo. Contudo, o mercado de trabalho, de maneira geral, trata o egresso de um bom programa de residência médica de maneira equivalente ao portador do TER.  

Quais são os principais desafios nessa jornada?

Dr. Jean Souza: Boa parte dos meus estudos foi baseada em resolução de questões. Ao longo dos dois anos de residência – mais intensamente no segundo ano –, eu e os meus colegas nos reunimos semanalmente para resolver questões por tema. Próximo à prova, eu li integralmente o Rheumatology Secrets (e alguns capítulos do Hochberg), o livro que, até hoje, acho o melhor da nossa área [Secrets]. Contudo, vale lembrar que ele não está na lista de livros indicados pela SBR no Edital de 2021.

Entendo que o grande desafio – e, simultaneamente, o grande segredo – é a organização. Sobra tempo em dois anos para estudar os temas da prova, mesmo que o residente dê plantões fora da residência – desde que ele não tenha o enriquecimento como meta nesse momento da vida (arrisco, inclusive, dizer que, se escolheu ficar rico, escolheu, provavelmente, a especialidade errada!). Se o candidato fizer um cronograma honesto e se engajar nele, o resultado seguramente será positivo. 

#DicaMedcel: A Medcel oferece um curso preparatório para o exame de título da SBR. O curso explora questões de exames anteriores e fornece conteúdo de estudo em diferentes formatos. 

Como compreender nos editais o que é importante para a prova? 

Dr. Jean Souza: As pessoas tendem a se preocupar muito com o conteúdo programático dos editais. Trata-se de uma lista enorme de temas, que causa até uma taquicardia de olhar. Contudo, para aqueles que fizeram uma boa residência ou um bom curso de especialização, nada mais é do que o dia a dia. As questões tendem a ser abrangentes e cobrar, inclusive, doenças raras, mas o grande volume da prova (cerca de 60%) será composto por colagenoses, doenças degenerativas dos ossos e cartilagens e afecções mecânicas do aparelho locomotor. 

A grande pergunta que o candidato precisa se fazer é quais foram as doenças que mais viu ao longo da sua formação: são essas que mais cairão na sua prova. Os demais 40% serão, em sua maioria, compostos por noções de farmacologia e imunologia.

Quais são os pré-requisitos importantes para o Título de Especialista em Reumatologia

Dr. Jean Souza: O candidato à obtenção do TER precisa ser médico, especialista comprovado em Clínica Médica e egresso de programa de residência médica em Reumatologia (credenciado à Comissão Nacional de Residência Médica) ou programa de especialização reconhecido pela SBR. Alternativamente, profissionais que comprovarem, ao menos, quatro anos de prática profissional em Reumatologia também podem prestar, mas, neste caso, a SBR precisará aceitar a comprovação fornecida.

Quais as dicas para se preparar para a prova de Título em Reumatologia?

Dr. Jean Souza: Organização desde o primeiro ano, criando metas e aderindo fortemente ao seu cumprimento, ajudará muito na obtenção dos conhecimentos e otimização do tempo. Colocar os conhecimentos em um contexto prático ajuda muito. Então, creio que a resolução de questões seja crucial. 

A prova possui fases práticas, portanto, examinar os pacientes ao longo da formação com carinho e curiosidade elevará os residentes a outro patamar – nada de ficar pedindo anticorpos e ressonâncias para todo mundo! Por fim, a organização precisa prever tempo de lazer e esporte – todos os reumatologistas deveriam praticar atividade física, a meu ver! –, pois eles garantirão a consolidação dos conhecimentos estudados na memória de longo prazo.

Baixe agora: E-book com Questões Comentadas das últimas provas de Título de Especialista em Reumatologia. 

Por Prof. Dr. Jean Marcos Souza
Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP). Tem Residência Médica em Clínica Médica e Reumatologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). É graduado em Medicina pela FMUSP, médico colaborador do HC-FMUSP e professor na Medcel.

 

Coach de Aprovação

Mais vistos