A

medicina do futuro está cada vez mais próxima. O que parecia, há alguns anos, estar muito distante, hoje já é realidade em alguns centros médicos do país. Aqui, traremos cinco tendências para a medicina: algumas que já estão entre nós, outras que estão sendo aprimoradas e também as que estão muito próximas.

Leia também: Como os robôs vão revolucionar a medicina?

Prontuário eletrônico

Esta ferramenta será de grande ajuda para otimizar o tempo de atendimento, já que ele conterá todos os dados e informações sobre o estado clínico do paciente, incluindo seu histórico, desde consultas feitas até medicamentos já tomados. Também estará disponível na nuvem, para acesso imediato em qualquer lugar.

Telemedicina

Apesar de ser algo já utilizado desde o século XIX para compartilhar informações entre médicos e oferecer segunda opinião para laudos, a evolução da tecnologia vem aprimorando a telemedicina, criando armazenamento na nuvem, compartilhamento de dados e até emissão de laudo médico à distância. Com o tempo, a expectativa é que tal serviço seja ampliado, fazendo com que o acesso a diferentes diagnósticos seja maior e mais fácil.

Leia também: Telemedicina no Brasil

Internet das coisas (IoT)

Já bastante presente, a IoT (Internet of Things) faz com que haja integração de dispositivos médicos para troca de informações, desde aplicativos móveis à computadores ligados à internet. Um dos exemplos de solução da IoT é o bisturi inteligente iKnife, que permite que cirurgiões consigam distinguir tecidos cancerosos de tecidos saudáveis durante um procedimento.

Leia também: Intelligent 'iKnife' diagnoses cancer midsurgery.

Wearables

Tudo o que se pode vestir é considerado um wearable. Um grande protagonista neste segmento é o relógio inteligente, que já é um grande aliado para quem faz exercícios físicos. Além de monitorar batimentos cardíacos, este acessório também já tem tecnologia para realizar pequenos exames, como o de eletrocardiograma. No futuro, ele será capaz de auxiliar em diagnósticos precoces mais complexos, sem que o paciente precise fazer exames em laboratórios.

Inteligência Artificial

Coletando diversas informações, muitos dispositivos podem aprender muitas coisas e ajudar no cuidado ao paciente – desde tarefas pequenas, como emitir alarmes para o paciente sobre o horário do medicamento, até detecção de câncer na pele.

Leia também: Smartphones em breve poderão detectar câncer de pele.

Postado em
29/10/19
na categoria
Notícias Médicas

Mais sobre 

Notícias Médicas

ver tudo