Obstetra e a Gravidez de Risco

Por André Massarotti


Uma das especializações da medicina que se dedica aos cuidados da mulher antes, durante e, também, depois do período gestacional. Para você que está pensando em seguir a especialização na área de Ginecologia e Obstetrícia, hoje falaremos um pouco sobre gravidez de risco e alguns cuidados que um médico obstetra pode ter perante este diagnóstico.

Saiba mais: Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia.

É importante começar falando que toda gravidez pode apresentar riscos. Por conta disso, qualquer sinal de que algo pode estar errado com a mãe ou com o bebê, a gravidez será classificada como de alto risco.

Caso tudo esteja aparentemente normal, a classificação recebida é de risco habitual. A classificação de alto risco pode vir por conta de vários fatores – independentemente do tamanho da gravidade – e pode ocasionar parto prematuro, interrupção da gestação, complicações para a mãe ou complicações para o bebê.

Causas

De forma resumida, os riscos na gravidez podem ocorrer por três condições gerais: doenças crônicas anteriores à gestação; gestação anterior classificada como de alto risco e condição ou doença que possa oferecer algum risco à mãe ou ao bebê identificada durante a gestação.

O que fazer?

No primeiro caso, as doenças prévias, ou identificadas durante a gravidez, podem ser várias, como Hepatite, HIV, diabetes, lúpus, dentre várias outras. Nestes casos, o médico obstetra deve acompanhar o tratamento da doença primária e se informar sobre toda e qualquer medicação para melhor adequação do pré-natal.

Caso a mãe se enquadre na condição em que já ocorreu uma gravidez de alto risco, o médico obstetra deve saber todo o histórico da paciente na gravidez anterior.

Agora, se a identificação da doença for durante a gravidez, é necessário encaminhá-la ao especialista responsável e acompanhar todo o processo de tratamento.

O parto

Existe um mito de que gravidez de alto risco, necessariamente, terminará em cesariana. Porém, quando o pré-natal é feito corretamente, controlando os fatores de risco, é perfeitamente possível que a mãe tenha um parto natural, caso deseje desta forma.

Leia também: Parto normal fortalece a saúde do bebê e tem melhor recuperação.

Está pensando em seguir na área de Ginecologia e Obstetrícia? Conheça nossos cursos e venha fazer parte do time Medcel!

 

 

Coach de Aprovação

Mais vistos