Atualizado em 17/11/2022.

Responsável por cuidar e acompanhar pacientes de todas as idades, o médico da família e comunidade tem como foco de atuação a Atenção Primária e exerce grande importância na jornada do paciente no sistema de saúde.  

De acordo com o Ministério da Saúde, aproximadamente 85% das queixas dos pacientes podem ser resolvidas por um médico de família e não necessitam de encaminhamento para outras especialidades.

Então, futuro médico, se essa área é uma opção para você seguir na Residência Médica, continue a leitura que iremos te contar tudo sobre o cenário da profissão. Vamos lá?

Aproveite para ler também: Curso preparatório de Residência Médica: por que fazer e quando começar?

O que é a Medicina de Família e Comunidade?

A Medicina de Família e Comunidade tem suas bases na Saúde Coletiva, na Medicina Preventiva e na Epidemiologia. É a especialidade que cuida das pessoas ao longo do tempo, independentemente do problema de saúde, do sexo ou da idade.  

Esse profissional visa o atendimento integral, de forma holística, contínua e abrangente,sendo especializado na Atenção Primária à Saúde. Ele deve ter uma boa comunicação e saber abordar as relações familiares e comunitárias para garantir um processo de saúde que vai além da ausência de doença. É preciso considerar todo o contexto do paciente - biológico, social, familiar, psicológico e etc. Consequentemente, esse médico amplia o atendimento à família, envolvendo-se em atividades em grupo e intervenções com as demais esferas da comunidade.  

Mesmo quando o paciente é encaminhado para outro especialista, o médico da família e comunidade deverá manter-se próximo e, se possível, coordenar as atividades da equipe para garantir o melhor resultado.

A Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade

  1. Como começou?

Os primeiros programas de Residência em Medicina de Família e Comunidade tinham o nome de Medicina Geral Comunitária e começaram em 1976, em Recife, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

Anos depois, em 2002, fortalecida pela Estratégia Saúde da Família, a especialidade passou a ser denominada Medicina de Família e Comunidade, ao mesmo tempo em que os programas de Residência começaram a se expandir.

  1. Como é atualmente?

Essa Residência possui acesso direto, ou seja, depois que o aluno de Medicina finaliza a graduação, ele já pode realizar a prova para entrar no programa, sem a necessidade de ter cursado outra especialidade como pré-requisito.

O programa dura 2 anos, com carga horária de 60 horas semanais e há possibilidades de estágios em outras áreas para direcionar o trabalho.  

Segundo dados da Demografia Médica no Brasil, publicada em 2020, na última década, a Medicina de Família e Comunidade foi a especialidade que registrou o maior aumento no total de residentes, pulando de 181 vagas de R1 em 2010 para 1.031 em 2019. Isso representa um crescimento de 469,6%, cinco vezes mais do que o aumento médio do período (81,4%) em todos os cursos de Residência.

No edital Enare 2023, um dos principais processos seletivos de Residência Médica do país, publicado este ano, estão sendo oferecidas 224 vagas para Medicina da Família e Comunidade, distribuídas entre os 77 hospitais participantes do Exame Nacional de Residência Médica. É a segunda especialidade com o maior número de vagas, ficando atrás apenas de Clínica Médica.

Leia também: Editais de Residência Médica 2023: inscrições, taxas e número de vagas  

Segundo a Resolução CNRM nº 9, de 30 de dezembro de 2020, que determina a Matriz de Competências dos Programas de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade no Brasil, os residentes devem exercer habilidades nas seguintes frentes:

 

O perfil do Médico de Família e Comunidade

Se você gosta de clinicar, gosta da relação médico-paciente, de abordar os sistemas do corpo humano de forma integral e se interessa por cuidar de pacientes abordando todos os seus contextos de vida, essa especialidade pode ser para você.  

Ainda tendo por base os dados da Demografia Médica no Brasil (2020), atualmente temos:

  • Cerca de 7.149 médicos da família e comunidade. Sendo que razão a cada 100 mil habitantes é de 3,40;
  • É uma das áreas com maior presença feminina: 58,7% mulheres e 41,3% homens;
  • É a especialidade que possui os profissionais com a menor média de idade - em torno de 41 anos;
  • Diferentemente das outras especialidades, a Medicina da Família e Comunidade é a única em que o número de profissionais em alguns estados do Norte e Nordeste, como Acre e Tocantins, se aproximam das concentrações vistas nos estados do Sul e Sudeste.  

Áreas de atuação da Medicina de Família e Comunidade

Nos últimos anos, com as novas políticas de incentivo à Atenção Primária e Medicina Preventiva, as possibilidades de carreira para essa especialidade se ampliaram. Algumas das possibilidades de atuação são:

  • Unidades de Atenção Primária à Saúde;
  • Consultórios ou em serviços ambulatoriais privados;
  • Emergência;
  • Assistência em ambiente hospitalar;
  • Medicina Paliativa;
  • Área acadêmica;
  • Equipes de população de rua;
  • Gestão no setor público ou privado (como em operadoras de saúde). 

Média Salarial  

De acordo com um levantamento realizado pelo site Salario.com.br (portal de pesquisa de cargos e salários do Brasil) um especialista em Medicina de Família e Comunidade ganha, em média, R$11.672,94 ao mês. Lembrando que o valor pode variar de acordo com a instituição de saúde, com o total de horas trabalhadas e com a região de prestação de serviço.

Quero fazer Residência em Medicina da Família e Comunidade

Que tal começar os seus estudos com quem mais aprova em Residência Médica no mercado?

Aqui na Medcel, você tem professores matadores de questões, vai ter dicas valiosas para direcionar seus estudos, orientadores para te ajudar em um cronograma personalizado e muito mais.  

Acesse nosso site  www.medcel.com.br e comece a sua jornada com a gente!

Gostou desse post? Cadastre-se seu e-mail na newsletter e receba nossos artigos em primeira mão.  

REFERÊNCIAS

“Médico de família: ser ou não ser? Dilemas envolvidos na escolha desta carreira”. Revista Brasileira de Educação Médica, 2009.  

Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbem/a/3CTt5Rrzxf3MhvFqnv4nw7y/?lang=pt  

Demografia Médica Brasileira – Censo 2020.  

Disponível em: https://www.fm.usp.br/fmusp/conteudo/DemografiaMedica2020_9DEZ.pdf

RESOLUÇÃO CNRM Nº 02 /2006.  

Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/resolucao02_2006.pdf  

Resolução CNRM nº 9, de 30 de dezembro de 2020.  

Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=168061-matriz-medicina-familia-e-comunidade&category_slug=2020&Itemid=30192  

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.  

Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Residência Médica? Inscreva-se e boa preparação!

Obrigado! Seu envio já foi recebido no nosso sistema.
Algo deu errado. Revise os campos acima.
Postado em
17/11/22
na categoria
Especialidades médicas

Mais sobre 

Especialidades médicas

ver tudo