S

eja você um estudante de Medicina querendo se preparar para uma prova de residência médica ou um profissional que busca um título de especialista, saiba que conhecer o seu perfil de estudos pode te ajudar a obter melhores resultados nas provas.

A Medicina é uma área repleta de conteúdo técnico e contempla muitas especialidades, e sabemos que as provas de residência médica não são fáceis. Mas, você sabia que conhecer o seu estilo de aprendizagem pode te ajudar neste processo?

Os estilos de aprendizagem se referem à maneira preferencial pela qual cada indivíduo recebe e processa uma informação transformando-a em conhecimento. Dessa forma, essa habilidade pode ser desenvolvida e abrange aspectos cognitivos, afetivos, físicos e ambientais.

Existem várias teorias para categorizar os estilos de aprendizagem, mas a mais popular foi desenvolvida pelo professor, da Nova Zelândia, Neil Fleming, em 1987, e é chamada de VARK. Ela divide os estudantes em quatro tipos de perfil de estudos:

  • Visual (visual);
  • Auditory (auditiva);
  • Read/Write (leitura/escrita);
  • Kinesthetic (cinestésico).

A seguir, explicaremos estes quatro estilos de aprendizagem e te ajudaremos a reconhecer o seu perfil! Este é um passo importante para ajustar o seu método de estudos para facilitar o aprendizado.

Confira!

Visual

Como o nome sugere, os estudantes visuais entendem e lembram-se melhor das informações vendo. Ou seja, preferem ver as informações apresentadas de uma forma visualmente atraente. Você às vezes se distrai em aula, mas fica atento à vídeos ou demonstrações? Se a resposta for sim, pode ser que você seja um aprendiz visual.

Se for do tipo visual, vai optar por:

  • Imagens;
  • Gráficos;
  • Tabelas;
  • Mapas;
  • Vídeos.

Algumas técnicas de estudo visuais são:

  • Cartões;
  • Informações em cores;
  • Destacar pontos importantes nos textos;
  • Desenhar mapas mentais ou fluxogramas;
  • Vídeos.

Auditivo

Como o nome já diz, aprendizes auditivos tendem a aprender melhor ao ouvir as informações. Em vez de anotar o que o professor diz, ele prefere apenas escutar a fala. É comum que estudantes auditivos prefiram estudar com gravações, músicas sobre o conteúdo das aulas ou lendo em voz alta para si próprio.

Algumas das maneiras auditivas de estudar são:

  • Ouvir podcasts, audiolivros ou gravações de aulas;
  • Escutando ou criando músicas sobre os conteúdos;
  • Discussões ou debates em grupo.

Leia também: Procrastinação: o que não fazer enquanto você estuda para concursos médicos

Leitura/escrita

Este tem facilidade para ler e se expressar por meio da escrita. Isto é, aquele com preferência por estilo de aprendizagem de leitura e escrita tende a receber melhor as informações quando são exibidas como palavras e texto.

Frequentemente, eles produzem listas e gostam de resumir informações da maneira que fizerem mais sentido para eles.

Alguns dos métodos de estudos utilizados são:

  • Ler artigos, manuais, livros didáticos e resumos;
  • Escrever anotações e resumos das aulas.

Leia também: Como criar metas de estudo e ser aprovado em concursos médicos 

Cinestésico

Ler, ver ou ouvir não é suficiente para quem tem o perfil de estudos cinestésico. Isto é, quem tem este perfil precisa estar em contato com o conteúdo de forma prática. Em geral, a pessoa com esse estilo de aprendizagem parece inquieto devido à necessidade constante de movimento, um exemplo é quem bate o pé ao pensar ou gesticula muito ao falar. Segundo alguns estudos, ensinar alguém é a melhor forma de memorizar algum conteúdo.

Por isso, para eles, precisam transformar a teoria em algo real. Alguns exemplos de formas de estudar cinestésicas são:

  • Simulações;
  • Viagens de campo;
  • Gamificação;
  • Experiências e laboratórios;
  • Fazer alguma atividade enquanto aprende, por exemplo, caminhar e escutar um podcast ou jogar uma bola de tênis enquanto lê em voz alta um conteúdo.

Leia também: 6 dicas para estudar nas horas vagas para R1


Como descobrir o seu perfil de estudos?

Agora que já leu sobre os diferentes perfis de estudo, olhe para si e veja qual se identifica mais. Se estiver em dúvida, pratique todas as formas até encontrar qual traz os melhores resultados para você. Pode ser que você se identifique com mais de um perfil de estudos. Este caso é chamado de multimodal. Mas, é importante ser criterioso e analisar bem o seu caso para identificar qual é.

Caso você ainda tenha dúvidas sobre o seu estilo de aprendizagem, reflita a partir de algumas questões:

  • Você aprende mais facilmente: ouvindo, lendo ou fazendo?
  • Quando você vai fazer um exercício, prefere respondê-lo por escrito ou oralmente?
  • Quando você precisa lembrar de alguém, qual é o primeiro aspecto da pessoa que você se recorda: fisionomia, gestos ou voz?

Segundo alguns estudos, a capacidade de compreender os estilos de aprendizagem dos alunos pode aumentar os resultados educacionais.

Um estudo publicado na International Journal of Advanced Nursing Studies avaliou o estilo de aprendizagem entre estudantes de graduação em enfermagem. Segundo a pesquisa, o estilo de aprendizagem visual, auditivo e cinestésico da amostra estudada foi 40%, 29,5% e 30,5%, respectivamente. As mulheres preferiram o estilo de aprendizagem auditiva (30,3%) mais do que os homens (27,3%), enquanto os homens preferiram o estilo de aprendizagem cinestésica (32,3%) mais do que as mulheres (29,8%).

Orientador de Estudos da Medcel

Para conseguir identificar o seu perfil de estudos e ter a melhor jornada de aprendizado, você pode contar com a ajuda do Orientador de Estudos da Medcel. Este profissional realiza uma mentoria personalizada com o estudante para atender às suas necessidades na sua jornada pela aprovação.

Com a Medcel, o aluno tem acesso a diversos conteúdos em todos os formatos, como questões comentadas, simulados, vídeos, podcasts, textos e livros impressos. E o Orientador de Estudos pode ajudá-lo com dicas e a criação de um cronograma com foco no que precisa estudar e no perfil de estudos.

Clique aqui e comece a estudar com a Medcel gratuitamente.

Postado em
21/2/22
na categoria
Notícias Médicas

Mais sobre 

Notícias Médicas

ver tudo