‚ÄúDoutor(a), eu estou sangrando demais!‚ÄĚ

Hey, tudo bem?

A miomatose uterina √© um assunto recorrente nas provas de Ginecologia e Obstetr√≠cia. Quem j√° come√ßou a estudar, deve com certeza ter visto quest√Ķes sobre o tema: elas despencam. √Č o tumor p√©lvico mais comum no sexo feminino na idade reprodutiva, geralmente assintom√°tico. Costumam apresentar sintomas em mulheres em torno dos 40 a 50 anos de idade e vai depender muito do n√ļmero, tamanho e localiza√ß√£o. Para voc√™ brilhar nas provas, √© bom ficar por dentro de defini√ß√£o, classifica√ß√£o, quadro cl√≠nico (para conseguir chegar ao diagn√≥stico) e tratamento. Bora l√°!

Leia mais: Dicas de Ginecologia e Obstetrícia para a prova de Residência

O que é mioma uterino?

Os miomas uterinos s√£o tumores benignos, especificamente o uterino √© uma neoplasia monoclonal das c√©lulas musculares lisas do miom√©trio (tamb√©m conhecido como leiomioma). √Č o principal tumor p√©lvico feminino. O crescimento √© estrog√™nio-dependente, ou seja, ent√£o aparecer√° em mulheres na idade menacme. ¬†

Quais s√£o os fatores de risco do mioma uterino?

Então, a partir daí, já dá para pensar nos fatores de risco para o seu desenvolvimento. São eles:  

  • Nuliparidade;
  • Menarca precoce;
  • Menopausa tardia;
  • Mulheres negras;
  • Hist√≥ria familiar;
  • Consumo de carne vermelha; e ¬†
  • Obesidade. ¬†

E, por incrível que pareça, o tabagismo é um fator de proteção! O cigarro diminui a produção endógena de estrogênio, fazendo com que diminua as chances do aparecimento do mioma.

Tipos de miomas

Os miomas uterinos são classificados de acordo com a localização. Anota aí:  

Há uma nova classificação da FIGO (Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia) mais completa.

Nova classificação da International Federation of Gynecology and Obstetrics para os miomas, conforme a localização

Fonte do livro: adaptado de Uterine fibroid management: from the present to the future, 2016.

Sistema de subclassificação dos leiomiomas:

Leia também: Endometriose: o que você precisa saber para as provas de Residência Médica

Sintomas do mioma uterino

A maioria das mulheres não tem sintomas. Nas que possuem, como vimos, a primeira manifestação clínica que você deve pensar em mioma uterino é o aumento do fluxo (menorragia) e prolongação do sangramento uterino (hipermenorreia). E, claro, se intenso, pode causar anemia por deficiência de ferro, dor ou volume se grande, infertilidade e abortos de repetição. No toque bimanual podem ser palpadas irregularidades na cavidade.

O diagn√≥stico final √© feito pela ultrassonografia transvaginal. A resson√Ęncia magn√©tica pode ser necess√°ria para diagn√≥sticos diferenciais, melhor visualiza√ß√£o dos miomas ou planejamento cir√ļrgico, mas n√£o √© de rotina. ¬†

Tratamento  

O tratamento do mioma uterino somente ser√° feito em pacientes sintom√°ticos. Vai depender da idade, do desejo e dos sintomas. O tratamento definitivo √© histerectomia, mas se a paciente deseja manter o √ļtero e a depender da localiza√ß√£o (s√≥ se for submucoso ou intramural), ent√£o deve ser feita a miomectomia. J√° com rela√ß√£o √† terapia medicamentosa auxilia na sintomatologia, corrige a anemia e em pacientes que desejam manter o √ļtero/desejo de engravidar. S√£o eles:

Leia mais: Complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias imediatas e tardias

Lembrando que temos como diagn√≥stico diferencial todas as doen√ßas do sangramento uterino anormal, o mnem√īnico de PALM-COEIN.

N√£o deixe de ler:

Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia: tudo o que você precisa saber
Ginecologista e Obstetra: saiba mais sobre a carreira médica

Resid√™ncia m√©dica na pr√°tica: C√Ęncer de mama

A Medcel tem cursos preparatórios para você sair na frente nos processos seletivos de Residência Médica. Entre no nosso site e teste a plataforma por 7 dias grátis! CLIQUE AQUI e comece sua jornada com a gente.

Gostou do artigo? Compartilhe com amigos, assine nossa newsletter, acompanhe a Medcel nas redes sociais e fique sempre por dentro dos assuntos mais quentes da Medicina.

REFERÊNCIAS

JACQUES, Donnez; MARIE-MADELEINE, Dolmans. Uterine fibroid management: from the present to the future. Human Reproduction Update, [s. l.], v. 22, n. 6, p. 665-686, July 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/305697512_Uterine_fibroid_management_From_the_present_to_the_future. Acesso em: 01 jun. 2023.

Shutterstock - New Africa. Disponível em: https://www.shutterstock.com/pt/image-photo/gynecologist-demonstrating-model-female-reproductive-system-2108995469. Acesso em: 01 jun. 2023.

Quer receber conte√ļdos exclusivos sobre Resid√™ncia M√©dica? Inscreva-se e boa prepara√ß√£o!

Obrigado! Seu envio já foi recebido no nosso sistema.
Algo deu errado. Revise os campos acima.
Postado em
1/6/23
na categoria
Notícias Médicas

Mais sobre 

Notícias Médicas

ver tudo