A

metade da faculdade de medicina, por volta do sexto período, vai terminando e muitos estudantes começam a ter um só pensamento: está quase na hora de começar os preparativos para a Residência Médica. Afinal de contas, continuar a formação depois da graduação é uma maneira de poder atuar na carreira médica como especialista, e não apenas como generalista, que é a capacitação com a qual o aluno sai da universidade.

E assim como a escolha de medicina no vestibular pode ter sido um momento de dúvida para muitos, definir a especialização pode ser outro desafio. Afinal, essa etapa envolve não só o desejo por uma área. Mas, também, a possibilidade de se formar nos maiores hospitais do país.

Mesmo depois da escolha, a preparação para a prova vai demandar muita dedicação e planejamento. Você está pronto? Confira, a seguir, um pouco mais sobre a Residência Médica no Brasil e como se preparar para conquistar a aprovação. Bons estudos!

Como é a Residência Médica no Brasil

A Residência Médica é considerada uma modalidade de pós-graduação destinada para médicos. Dessa forma, mesmo que seja gerida pelo Ministério da Educação (MEC), o regimento dessa formação é definido pela Comissão Nacional de Residência Médica, a CNRM.

O tempo total de uma Residência Médica pode variar, dependendo da instituição e da especialidade. Mas, de forma geral, a carga horária máxima prevista é de 60 horas por semana, dentre as quais estão incluídas 24 horas de plantão. A legislação ainda exige um período obrigatório de 6 horas de descanso depois de cada plantão noturno de 12 horas, assim como um dia de folga por semana. O Residente tem direito também a trinta dias de férias por cada ano. O valor da bolsa é ​ R$ 3.330,43​.

A prova de Residência Médica

Se o processo seletivo para a faculdade de medicina é desafiador, para a Residência Médica pode ser mais ainda, já que a relação de candidatos por vaga pode ser bem alta. Neurocirurgia, Dermatologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Neurologia e Cirurgia Geral são, geralmente, as especialidades mais concorridas. Há casos em que a disputa pode chegar a mais de 90 candidatos por vaga.

O processo acontece em algumas etapas:

  1. Prova teórica: é, normalmente a etapa com maior peso na classificação final. Nessa fase, os candidatos provam conhecimento respondendo questões multidisciplinares sobre as cinco grandes áreas da medicina – Clínica Médica, Cirurgia Geral, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia e Medicina Preventiva e Social.
  2. Prova prática: essa fase não existe em todos os processos. Mas, geralmente, acontece nos mais disputados.
  3. Análise do currículo: para ganhar pontos, estágios, publicações científicas, pesquisas e participações em congressos são fundamentais.
  4. Entrevista: por fim, os avaliadores conversam com os candidatos em busca de compreender as principais motivações e a identificação para o programa de residência.

Saiba Mais: 5 fatos sobre o Enare para ficar atento

Principais processos seletivos

Para fazer a escolha do melhor programa de Residência Médica para você, é preciso conhecer quais são ofertados no Brasil. Veja a seguir os principais processos seletivos - alguns deles são integrados, ou seja, com apenas uma prova é possível concorrer diferentes programas:

  • USP-SP e USP-RP
  • AREMG
  • AMRIGS
  • UNICAMP
  • UNIFESP
  • SUS-SP
  • SES-PE
  • UFC
  • HIEA
  • CEREM
  • HCPA
  • AMP
  • FAMERP
  • IAMSPE

Como se preparar para a prova

Após escolher qual o melhor programa de Residência Médica, chega a hora de se preparar. Veja algumas dicas de como tornar esse processo mais leve e proveitoso.

Priorize conteúdos mais importantes

Por mais que você já tenha estudado por muitos dos conteúdos cobrados na prova durante a faculdade, é preciso revisar o que já você já aprendeu e reforçar os tópicos que passaram despercebido. Mas, como o volume de temas cobrados é muito grande, priorizar é fundamental.

Para te ajudar nessa missão, fizemos uma análise dos tópicos abordados nas provas dos principais concursos dos últimos anos. E, assim, criamos o Guia Estatístico de Residência Médica. Baixe agora, gratuitamente, e conheça quais são foram os temas mais recorrentes por especialidade.

Crie uma rotina de estudos

Um dos grandes erros de quem tem um grande desafio pela frente, como é o caso da prova de Residência Médica, é não se planejar. E isso vale não só para os temas a serem estudados, mas, também, para o processo de estudos - especialmente quando não há possibilidade de se dedicar completamente a isso.

Veja algumas ideias de como fazer isso:

  • prepare o espaço onde você irá estudar. Quanto mais limpo, organizado e confortável, melhor;
  • crie um calendário com horários que você poderá dedicar para os estudos;
  • separe as matérias por grandes áreas e destrinche em pequenos temas;
  • estabeleça metas de estudos realistas. Assim, você evita frustrações com o seu processo;
  • por fim, lembre-se: é impossível estudar tudo! Então, dedique um tempo na organização dos materiais se baseando nos temas mais cobrados nas provas.

Leia também: Como montar um cronograma de estudos?

Não estude sozinho

O processo de estudos para a prova de Residência Médica pode ser bem solitário. Se você é uma pessoa que se dá bem estudando em grupo, invista nesse tipo de encontro. Crie grupos de estudo para revisão, simulados e outras atividades de aprendizado. Converse também com colegas que já passaram por esse processo para ouvir suas experiências e dicas.

Outra maneira de evitar estudar sozinho é com a ajuda de uma plataforma online que já ajudou mais de 36 mil alunos. Sim, estamos falando da Medcel! Na nossa plataforma, você pode ter acesso a um orientador de estudos, que vai te ajudar a construir a sua jornada de preparação até ser aprovado.

Tenha acesso a provas, simulados, aulas ao vivo e muito mais! Conheça, faça o teste gratuito e comece a estudar agora mesmo!

Postado em
6/1/22
na categoria
R1

Mais sobre 

R1

ver tudo