O

estudo Demografia Médica no Brasil 2020, publicado por meio de um acordo de cooperação técnica entre a Universidade de São Paulo (USP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM), indica que naquele ano o país atingiu a marca de meio milhão de médicos, dos quais 61,4% tinham um ou mais títulos de especialista.

Apesar do alto percentual de profissionais especialistas, saber qual área seguir costuma ser a dúvida de todo estudante de Medicina ou mesmo dos médicos recém-formados. Para escolher a especialidade médica, é preciso considerar o processo para formação, bem como as suas expectativas para atuação no futuro, além de vários outros pontos importantes.

Baixe agora: Infográfico das principais carreiras médicas

Com tantas opções, não é fácil escolher o melhor para você, mas existem alguns fatores que podem ajudar nesse momento. Se você está em dúvida sobre qual especialidade médica seguir, continue a leitura desse post e confira algumas dicas que podem servir como direcionamento para a sua decisão. Saiba mais a seguir.

O que levar em consideração na hora da decisão?

Escolher a especialidade médica é uma decisão pessoal e você é a única pessoa que saberá qual delas combina mais com a sua realidade e os seus desejos enquanto médico.

É válido ressaltar que um bom exercício para descobrir a especialidade que combina mais com você é primeiro imaginar a realidade de trabalho que você gostaria de ter. Sendo assim, pergunte a si mesmo:

  • Em que local prefere atuar? 
  • Está apto a uma rotina corrida ou prefere mais tranquilidade? 
  • Tem preferência por algum público específico?
  • Considerar tratar pacientes com doenças incuráveis é plausível para você?
  • Sente-se mais confortável em lidar com promoção da saúde?
  • Sente-se mais atraído pela ideia de uma agenda com horário marcado para pacientes ou por situações de imprevisibilidade?

Responder essas perguntas pode te ajudar a eliminar opções e ir filtrando as especialidades médicas que são mais a sua cara. Depois disso, é hora de colocar os prós e contras de cada um lado a lado e definir quais as suas prioridades.

Sabemos que existem médicos que desde o início da graduação sabem exatamente em qual área desejam atuar, outros mudam de ideia ao longo do caminho enquanto muitos não sabem o que escolher.

O processo de decisão no vestibular pode ter sido muito similar e é normal que haja dúvidas, por isso, ter conhecimento sobre as especialidades médicas, entender sobre os diferentes processos de formação, além de avaliar os fatores abaixo é essencial para que você escolha bem.

9 fatores a serem considerados ao escolher a especialidade médica


A escolha da especialidade médica é a determinação do seu futuro na carreira de Medicina, por isso, é preciso pensar com cuidado e entender os pormenores da decisão. Listamos alguns fatores que podem impactar a sua decisão e cabe a você refletir sobre eles de acordo com a sua realidade. Confira:

1. Momento pessoal x visão de carreira

Embora pouco se fale sobre isso, dedicar-se a uma carreira não precisa – e nem deve – ser sinônimo de abrir mão de ter vida pessoal, construir relacionamentos positivos e até mesmo uma família. No entanto, é preciso compreender que algumas escolhas para a carreira podem não ser condizentes com o momento pessoal que se está vivendo e vice-versa. Por isso, vale observar bem esses fatores no momento da escolha da especialidade médica para que seja possível conciliar as situações sem frustrações.

2. Interesses durante a graduação

Durante o internato existe a oportunidade de vivenciar a experiência de atuar com médico. Ao colocar em prática os aprendizados fica mais fácil identificar aquilo que se gosta mais ou mesmo aquilo que não te agrada tanto, considerando as múltiplas áreas da medicina.

Tente lembrar quais os momentos em que você mais se sentiu realizado ao longo do internato, revisite as disciplinas da graduação e relembre o que sempre cativou sua atenção. É válido ressaltar que os estudos não se encerram, portanto, é preciso escolher uma especialidade em que você realmente queira se aprofundar.

3. Vagas disponíveis e processos seletivos

Se você gosta de saber quais as áreas que são mais procuradas para especialização, a pesquisa Demografia Médica no Brasil também traz esses dados. A pesquisa mostra as especialidades mais e menos procuradas.

Em primeiro lugar está a Clínica Médica com 11,2% dos interesses, seguidos por Pediatria e Cirurgia Geral com 10,3% e 8,9%, respectivamente. Confira abaixo a listagem completa:

  • Clínica Médica: 11,2%
  • Pediatria: 10,3%
  • Cirurgia Geral: 8,9%
  • Ginecologista e Obstetrícia: 8%
  • Anestesiologia: 6%
  • Medicina do Trabalho: 4,2%
  • Ortopedia e Traumatologia: 4,1%
  • Cardiologia: 4,1%
  • Oftalmologia: 3,6%
  • Radiologia e Diagnóstico por Imagem: 3,2%
  • Psiquiatria: 2,7%
  • Dermatologia: 2,2%
  • Medicina Intensiva: 1,7%
  • Otorrinolaringologista: 1,7%
  • Cirurgia Plástica: 1,7%

Também é válido considerar onde você fará a sua Residência Médica e como funciona o processo seletivo para entrar. Escolher as instituições mais renomadas pode ser um caminho. Ademais, é certo que você precisará fazer uma prova, por isso, é importante já se preparar para os estudos.

4. Salário desejado

“Qual especialidade médica ganha mais?”. Você provavelmente já fez essa busca no Google, não é mesmo? De fato, o salário precisa ser colocado na balança para que esteja de acordo com as suas expectativas, mas é válido lembrar que é apenas um dos aspectos a considerar.

Não adianta escolher a especialidade mais bem paga, se a rotina que este profissional tem não se adequa ao que você deseja. Por isso, tenha em mente que, embora o salário seja um aspecto importante, não pode ser o único definidor. Caso tenha curiosidade, confira a média salarial de cada especialidade em sites de vagas como Catho.

5. Local de atuação

O médico pode atuar em diferentes localidades como hospitais, clínicas, postos de saúde, consultórios ou mesmo em empresas que contratem médicos para atendimento interno dos funcionários. Você conhece todas as suas opções? O ideal é entender como funciona o trabalho em cada um desses lugares para escolher o que combina mais com você.

6. Região na qual deseja morar

Este é outro fator importante, pois deve-se considerar que algumas regiões do país podem não ter grandes centros médicos ou investimentos suficientes para o desenvolvimento de uma carreira em determinadas especialidades, a exemplo de cidades no interior. Em capitais, por outro lado, essas oportunidades costumam ser realidade, apesar da concorrência de mercado.

7. Possibilidade de networking

Construir uma carreira sólida e com boa reputação entre os pares depende tanto de preparo individual quanto de bons relacionamentos. Portanto, ao eleger a especialidade é importante considerar aspectos como a possibilidade de contato com outros profissionais, bem como participações em eventos da área, tais como seminários, congressos etc. Estabelecer um bom relacionamento com professores e colegas também é um bom caminho para estabelecer futuras parcerias e tornar-se referência na sua área de atuação.

8. Rotina da especialidade

Ao pensar no local de atuação também é importante conhecer a rotina da especialidade médica escolhida. Um Ginecologista que atende em uma clínica privada terá uma realidade completamente diferente de um Neurocirurgião que atua em hospital. Perceba que tanto a especialidade escolhida como o local de atuação podem modificar a rotina.

Esses são alguns dos fatores, mas lembre-se que todos eles devem ser avaliados em conjunto, não separadamente. Afinal, se você for escolher baseado apenas no salário, por exemplo, pode acabar se frustrando com uma especialidade médica que não gosta tanto.

Leia também: 4 motivos para fazer a prova de Título de Especialista

9. Considere o peso da instituição na qual cursará sua especialidade

Tão importante quanto contar com boa infraestrutura para os estudos da especialidade escolhida é, em alguns casos, ter a certeza de que a instituição é reconhecida e muito bem-conceituada na área da sua escolha, a exemplo do que ocorre com programas de cirurgia cardíaca. 

Especialidades de acesso direto podem ter peso na escolha!
Algumas áreas da medicina podem ser mais exigentes do que outras. Para aqueles que consideram também o tempo e dinheiro que ainda precisará ser investido até tornarem-se, de fato, especialistas, ter conhecimento de quais são as residências de acesso direto vale a pena. Sendo assim, vale destacar que entre as especialidades de acesso direto estão: clínica médica, cirurgia geral, neurocirurgia, oftalmologia, ortopedia etc.

Leia mais: Residência Médica de acesso direto: quais são as especialidades?

Preparação para a prova de Residência Médica

Sabemos que não é uma decisão fácil, mas ao pensar em todos esses aspectos você terá mais informações para fazer a escolha certa. Seja qual for a especialidade escolhida, você precisa começar a se preparar para as provas de residência e a Medcel está à postos para te auxiliar nessa nova etapa.

A Medcel é a maior e mais completa plataforma de estudos para quem deseja ser aprovado na Residência Médica. Já fizemos parte da vida de milhares de estudantes na jornada pela Residência Médica e você pode ser o próximo!

Leia também: Qual a especialidade mais citada em provas de R1?

Sabemos que cada estudante tem a sua forma de aprender, e o seu próprio tempo e espaço para se dedicar nessa caminhada, por isso, desenvolvemos uma plataforma interativa e personalizada, com múltiplos objetos de estudos que podem o acompanhar a qualquer hora e em qualquer lugar.

Temos conteúdos preparados especialmente para alunos e treineiros em preparação para a prova de Residência Médica R1 e R3 em instituições como USP, UNIFESP, AMRIGS, AREMG, UNICAMP, SUS-SP, SES-PE e, inclusive para a avaliação mais recente proposta pelo Governo Federal junto ao Ministério da Educação (MEC), o ENARE.

Baixe agora: Guia estatístico com os temas que incidem nas principais provas de Residência Médica do Brasil

Além disso, a plataforma conta ainda com os Orientadores de Estudos, profissionais especializados que irão auxiliar todos os passos desde a montagem de cronograma, escolha das aulas e organização da rotina. Tem dúvidas se a Medcel é para você? Então, clique aqui, cadastre-se e experimente a plataforma de estudos por 7 dias gratuitos. O conteúdo fica 100% disponível para que você usufrua do início ao fim.

Postado em
25/7/22
na categoria
Especialidades médicas

Mais sobre 

Especialidades médicas

ver tudo