Amenorreia – O que cai na prova de Residência Médica?

05 de junho, 2019
24
0
Prof. Dr. Jader Burtet

Amenorreia consiste na ausência de menstruação por 6 meses ou pelo período correspondente a 3 ciclos consecutivos da paciente. Do ponto de vista técnico, é dividida em primária e secundária. A amenorreia primária é a ausência de menstruação em mulheres que nunca menstruaram. A secundária é a falta de menstruação em mulheres que previamente menstruavam.

Leia também: Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia – tudo o que você precisa saber.

Investigação

É indicada a investigação da amenorreia primária em meninas a partir dos 14 anos que não desenvolveram os caracteres sexuais secundários. Já aquelas que desenvolveram tais caracteres devem ser avaliadas aos 16 anos. De modo geral, a amenorreia secundária deve ser investigada quando a paciente apresentar a queixa.

Causas

As causas de amenorreia secundária são específicas. A principal delas é a gestação. Em mulheres em fase reprodutiva que apresentem amenorreia secundária, a gestação deve ser descartada, mesmo que a paciente julgue ser improvável estar grávida.

Outros diagnósticos

Outros diagnósticos possíveis com prevalência significativa são o hipotireoidismo e a hiperprolactinemia. Dessa maneira, a dosagem de beta-HCG, TSH e prolactina sérica deve ser solicitada na abordagem inicial.

Caso nenhum desses diagnósticos seja comprovado, é sugerido um roteiro para investigação iniciado com o teste de progesterona. Trata-se de um teste simples, de baixo custo e facilmente reprodutível em unidades básicas de saúde.

Teste de progesterona

O objetivo desse teste é avaliar a possibilidade de anovulação como causa de amenorreia. Caso esse diagnóstico não seja realizado, a investigação deve prosseguir com o teste do estrogênio + progesterona. Se o resultado for negativo, infere-se que a causa da amenorreia seja anatômica (obstrução do trajeto da menstruação). Caso seja positivo, a investigação de hipogonadismo deverá ser realizada.

Amenorreia ovariana

Se o nível sérico das gonadotrofinas hipofisárias apresentar-se elevado, deve-se concluir que a causa da amenorreia é ovariana (se for uma mulher com menos de 40 anos, conclui-se que ocorreu uma falência ovariana precoce). Em se tratando de níveis de FSH e LH baixos, a causa da amenorreia é central. Nesse caso, a amenorreia pode ser causada por alterações na função hipotalâmica, como a prática excessiva de exercícios físicos, a anorexia e o estresse.

Tratamento

O tratamento da amenorreia é completamente voltado para a situação específica. Gestantes devem ser encaminhadas para o atendimento pré-natal; pacientes com hipotireoidismo devem ser tratadas com hormônio da tireoide, e as hiperprolactinêmicas precisam ser avaliadas para a determinação da causa.

Em pacientes com anovulação, deve-se verificar a existência ou não da síndrome dos ovários policísticos. Os demais casos devem ser tratados conforme o diagnóstico encontrado.

Conheça os nossos professores: Professores Medcel.

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa